Buscar

Vamos vestir branco na sexta? Talvez! Antes, vamos vestir a paz?!

Atualizado: 5 de set. de 2020


Nas sextas-feiras o povo do àṣẹ no Brasil veste branco para homenagear o Orià batala/Òàlá. Já comentei aqui a necessidade cultural e ritualística de imitarmos os mitos para atrairmos seu àṣẹ.

O costume de vestir branco e não comer carne de porco, carne vermelha (de gado) às sextas também são dogmas que algumas casas exigem como cumprimento de protocolos perante ao òrìṣà rei da roupa branca.


O que normalmente o devoto se esquece é que de nada adianta vestir sua roupa clara por cima de seu coração sem luz.

Você pode vestir o mais lindo e mais reluzente tecido branco para imaginar que atrairá a paz e calma de batala, Jesus Cristo, seja qual for a divindade que você define com essa coloração, da qual tem seu significado. Porem se você vestir sua alma com mentiras, arrogância, prepotência entre outras que infelizmente te couberem, compradas ou ganhadas na loja da desgraça humana, a sua então ilusória armadura nada iluminará a não ser sua própria incoerência.


No culto de batala aprendemos a fazer nossas tarefas com calma, afinal como diz o ditado: “o diabo mora nos detalhes”. Este mesmo culto ensina como o ser humano pode ser organizado e conseguir não se sujar seguindo um bom caminho. O mais limpo possível. Assim como é fácil cair ao chão por querer ser apressado rumo ao sucesso ou a conquista de qualquer sonho.


Vemos batala, em seus itans (lendas), passando por provações de sua própria soberania e entendendo a importância que todos os seres possuem. Ele entende e repara seus erros sendo o mais digno possível. Aprender a filosofia de batala é saber que o ser humano precisa de Sùúrù (paciência/calma). Sem esta virtude não conseguiremos atrair a longevidade, prosperidade e as demais.


"A kì í fi ìkánjú lá obẹ̀ gbígbóná" (Não se come uma sopa quente com pressa).

O problema não é errar, impossível ser perfeito. A questão é: O que você faz com o seu erro?

Repare cada mancha que tem em seu coração e cabeça, aquelas atitudes que hoje você entendeu que eram infames e erradas. Deixe para trás e repare o coração de quem você sujou.

Òàlá nos ensina a termos alma limpa. A termos a luz própria e a honrar o Deus Supremo.

Respire fundo, esse òrìṣà lhe deu o emí (sopro da vida). Fertilize o que é bom com sua própria respiração calma. Ter falta de ar é sinal de estarmos precisando de vida dentro de nós.


Independentemente de sua fé, crenças ou mitos que te levem ao bom caminho do Deus Supremo, seja luz primeiramente dentro de você para que qualquer cor de roupa que usar, da vela que acender, da sagrada comunhão que tomar, tudo isso possa realmente fazer sentido e atrair resultados verdadeiros.


Somos seres humanos e temos defeitos, mas também somos cheios de qualidades.

Basta apenas uma faísca para derrotarmos as trevas. Ilumine-se!

Heepa Baba Òàlá!


O dábọ̀ àti mo dúpẹ́ ẹ!

(Até logo e agradeço!)


29 visualizações

Posts recentes

Ver tudo