Buscar

Eu sou do Amém e sou do Àṣẹ!

Atualizado: 16 de fev.


Tem gente que está fechada para o amor e para os estudos de qualquer religião. Não tem como servir a Deus sem o respeito ao diferente e sem estar aberto a essas diferenças.


Se meu salvador, Jesus Cristo, mostrou em sua passagem na terra, nos serviu de exemplo e isso não bastou, então logo entendo que a humanidade está fechada pro amor. Muito se deduz, pouco se estuda e muito menos bem se faz, infelizmente. Juízes temos aos montes, servos aos poucos. Uma pena.


Minha vida espiritual iniciou-se cedo, me recordo nitidamente de ir com minha avó materna aos domingos na Igreja Católica para assistir as missas e sempre ouvi o chamado ao sacerdócio. Graças a Deus onde íamos eu não ouvia uma pregação abusiva, destrutível e intimista. Pelo contrário, era otimista e de união. Fraternidade era o que mais se falava e praticava naquela época. Foi com isso que cresci.


Desde sempre minha curiosidade pelos mistérios da fé me levaram aos bastidores do amém. Com todo respeito os padres me ensinavam tais mistérios e nesta época de criança minha felicidade não era jogar bola na rua, mas sim participar com minha avó e suas amigas senhoras e seus amigos senhores da corrente de oração de São Benedito.


Não parava por aí, eu fazia minha mãe e irmãs participarem de "missas" improvisadas por mim no meio de nossa sala. A hóstia sagrada era a bolacha água e sal que ficava sempre no armário da cozinha. A minha estola sacerdotal (paramenta da vestimenta litúrgica cristã) era a faixa de tricô que protegia as teclas do piano de minha mãe e minha liturgia eram os folhetos da ladainha da igreja.


Sempre fui do amém e morrerei dizendo amém. Sempre reconheci o Cristo Rei. O tempo passou e eu me tornei coroinha. E a mistura já existia. Na mesma época frequentava a Umbanda com minha mãe e era cambono de seus guias.


Uma cena que jamais me esquecerei foi quando na missa de sétimo dia do sacerdote de umbanda de minha mãe e eu, feita na igreja católica, os filhos a convite do padre entraram vestidos com as roupas do àṣẹ e os dizeres do sacerdote Cristão foram: "Deus recolheu mais um filho seu em sua morada e deixou aqui seus filhos, mas não desemparados, pois todos tem Deus no coração". Um dia triste que se fez belo, um dia raro que se faz necessário. Não digo claro da morte de ninguém, mas do respeito a fé alheia.


Sempre defumei nossa casa, colocava sal nos cantos, e quando me vi certo dia, eu estava diante de dois altares em meu quarto. Eu mesmo montei. Um era para magia e para ler o Evangelho segundo o espiritismo de Allan Kardec e o outro era católico com a Bíblia e imagens dos arcanjos do Senhor. Ah, e o espelho, sim, pois era uma penteadeira que eu transformei em um dos altares. Ọ̀ṣun sempre esteve ali ao meu lado me olhando através daquele espelho. Fluidificando minhas águas.


Se eu narrar aqui tudo, virará um livro. Porem, me sinto no dever de compartilhar isso com todos. Hoje, se sou sacerdote religioso na linha de umbanda, Bàbálórìṣà de candomblé (sem sacrifício animal) e awoifá no culto de Ọ̀rúnmìlà Ifá é porque sempre respeitei o amém e o àṣẹ, pois reconheço toda a Criação do Deus Supremo.


Não há problema algum em você ser assim como eu. Sabe por que? Porque Deus é bom e te fez assim. Seu orí (cabeça) é assim e só assim seu Òrìṣà abençoaria você.


Deus habita em nosso Orí e o Òrìṣà repousa o seu àṣẹ também ali.


Há muitas moradas no reino de Deus. Há muitos àwọn Ọ̀run (céus) no reino de Deus! Ifá nos ensina que são nove.


Eu creio que exista o diabo cristão. Eu creio que exista Èṣù Òrìṣà. E te digo, Èṣù NÃO É o diabo. Èṣù é o fiscalizador de Ọlọ́run (Deus Supremo).


Èṣù é o Òrìṣà da ordem, organização e disciplina. Èṣù é o inimigo do mau caráter. É o reorganizador. Energia criada por Elédùmarè (outro nome para o Deus Supremo) para fertilizar o mundo e ajudar o ser humano a se melhorar como pessoa e espírito.


O mal que o ser humano faz pra ele e para o seu próximo sempre volta em triplo. A lei do retorno existe porque a justiça divina existe!


Não precisa de diabo para as pessoas serem ruins. Elas que o chamam. E esse chamado nem sempre é com a boca e pensamentos, mas se afastando da luz. Porque as trevas é a ausência da luz! E basta uma faísca para o diabo e as trevas serem derrotados.


Essa luz está em você! No seu amém! No seu Àṣẹ!


Que possa Deus ter misericórdia das mentes pequenas e nos livrar das trevas.

Que possa Deus continuar nos dando a chance de cultuar toda sua criação e as forças da natureza que Ele fez para nos abençoar.


Àṣẹ pra quem é de Àṣẹ!

Amém pra quem é de amém!


O dábọ̀ àti mo dúpẹ́ ẹ!

(Até logo e agradeço!)

31 visualizações

Posts recentes

Ver tudo